Mamografias duplicaram taxa de sobrevivência numa década

05/08/2010 at 10:19 am Deixe um comentário

ESTUDO

por DIANA MENDES

Mamografias duplicaram taxa de sobrevivência numa década

Por cada mulher que sobrevive a um cancro da mama, há dez a fazer tratamentos desnecessários e 500 a registar falsos casos de cancro. Os dados são avançados na última edição do British Medical Journal (BMJ) e recolocam em debate a necessidade de pesar os riscos e os benefícios do rastreio, através de mamografias. A questão é polémica e divide especialistas. Mas não os portugueses. Vítor Rodrigues, da Liga Portuguesa contra o Cancro, diz que “por cada estudo destes, há cem que mostram os benefícios”. Só em Coimbra, a sobrevivência duplicou em dez anos.

O estudo publicado revê a informação disponível, mas não se limita a analisar os benefícios dos exames, como as 1400 vidas poupadas anualmente em Inglaterra. Riscos como tratamento sem necessidade e em casos de desenvolvimento lento foram exemplos.

Klim McPherson, epidemiologista da Universidade de Oxford, disse ao BMJ que “o benefício individual da mamografia “é muito pequeno”. E cita dados dos EUA: Os testes reduzem em 14% a taxa de mortalidade abaixo de 60 anos, subindo para 32% abaixo dos 70. A percentagem pode parecer elevada, mas a verdade é que o risco de morrer com este cancro aos 60 é de apenas 1,2% em 15 anos.

Por essa razão, refere, citado pelo The Independent, “os dados existentes devem ser examinados”. Ao mesmo tempo, convida as autoridades britânicas a rever o programa de rastreio nacional.

Jorge Espírito Santo, da Ordem dos Médicos, refere que “os benefícios são muitos superiores aos riscos e contesta que as mulheres sejam tratadas sem necessidade”.

Vítor Veloso, ex-presidente da Liga, diz que só no centro o rastreio se implementou a 100%. “Nas restantes regiões, a cobertura não passa dos 50%”, refere. Por essa razão, ainda não há dados globais. Mesmo o número de casos – 4000 novos e 1400 mortes por ano – é baseado em estimativas. No Centro, o rastreio já chegou a 1,5 milhões de mulheres nos últimos anos e a sobrevivência a dez anos atingiu “80% em vez dos anteriores 40% ou 50%”, acrescenta Vítor Rodrigues. O especialista recorda que, “além dos estudos a mostrar os benefícios, os dados agora divulgados partem de estudos diferentes dos nossos”. Manuel António, presidente do IPO de Coimbra, diz que, “se for bem controla- do, não há riscos para as mulheres. O problema é quando fazem demasiados exames sem necessidade”, alerta. Entre os 45 e os 70 devem fazê-lo de dois em dois anos.

Vítor Rodrigues frisa que “um rastreio global diminui os casos de cancro mais avançados, detectando no máximo casos com dois anos ao fim do primeiro exame. Os hospitais não ficam entupidos com os exames e atinge-se pessoas em piores condições sociais”.

Mas os riscos também existem “e devem ser comunicados às mulheres. O pior é a morbilidade psicológica, quando há casos que são falsos positivos”. Em cada mil exames, há 46 que têm resultados positivos mas não são. “Mas preocupa-me mais que os hospitais não tratem a tempo após o rastreio.”

Entry filed under: Cancro da Mama, Noticias Locais. Tags: , , .

Falta de juiz deixa vítimas de violência sem indemnizações MP abre mais de 25 processos de violência doméstica por dia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


NOVO! Projeto Criar Mundos de Igualdade Agir e Convergir para Mudar

Fotos do Projecto Saúde da Mulher - Construir a Igualdade

Mais fotos

Objectivos do Projecto

Informar e sensibilizar a opinião pública, junto de organizações de mulheres, orgãos de comunicação social e demais entidades da sociedade civil, sobre aspectos da saúde da mulher.

Divulgação de informações sobre aspectos de saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Promoção de uma sexualidade saudável e responsável.

Promover os direitos da mulher grávida (maternidade e paternidade).

Combater a violência sexual baseada em questões de género.

Promoção de cuidados perinatais.

Promoção da educação sexual.

MDM Évora

Exposições do Movimento Democrático de Mulheres disponíveis para empréstimo

https://mdmevora.files.wordpress.com/2012/11/exposic3a7c3b5es-do-movimento-democrc3a1tico-de-mulheres-disponc3adveis-para-emprc3a9stimos.pdf

Mapa de Évora – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Arraiolos – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Montemor-o-Novo – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Número Verde

Linha SOS IMIGRANTE

DVD – “De mãos dadas com o medo”

 Filme que aborda questões relacionadas com a violência no namoro e que foi realizado no âmbito do projecto “Participar, Partilhar a Igualdade”, que  foi premiado, em 2007, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade, como o melhor trabalho nesta área realizado no Distrito de Aveiro

Linha Cancro

Sexualidade em Linha

Rastreio do cancro do colo do útero no Alentejo

Linha Sida

São objectivos gerais da Coordenação Nacional da Infecção VIH/SIDA:

Saúde 24

A Linha Saúde 24 é uma iniciativa do Ministério da Saúde que visa responder às necessidades manifestadas pelos cidadãos em matéria de saúde, contribuindo para ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços e racionalizar a utilização dos recursos existentes através do encaminhamento dos Utentes para as instituições integradas no Serviço Nacional de Saúde mais adequadas.

Financiamento

Saúde da Mulher – Mês a Mês

Agosto 2010
M T W T F S S
« Jul   Set »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

Facebook do Projecto Saúde da Mulher -Construir a Igualdade


%d bloggers like this: