Médicos oferecem consultas através das redes sociais

18/10/2010 at 10:30 am Deixe um comentário

por CATARINA CRISTÃO

As novas tecnologias têm aproximado cada vez mais clínicos e doentes, seja através de ‘e-mail’ ou redes sociais seja ‘chats’ ou Facebook.  A comunicação faz-se de maneira mais rápida e eficaz, garantem os especialistas. Os doentes agradecem e dizem sentirem-se mais seguros.

Pode parecer um paradoxo, mas as novas plataformas da Internet, como blogues e redes sociais, funcionam cada vez mais como uma ferramenta de aproximação entre médicos e doentes. Embora não dispensem as consultas presenciais, cada vez mais especialistas usam a comunicação digital para falar com os doentes: dão dicas, respondem a dúvidas e dão autênticas consultas online.

“Este é o método do futuro e acompanha a evolução da sociedade. A saúde vai ter muito a ganhar e os doentes também”, acredita João Alexandre Rodrigues, especialista em comportamentos aditivos, com um consultório de psicologia online.

“É a tendência dos nossos dias e cabe aos médicos da nova geração promover a aproximação aos doentes com as novas tecnologias”, defende também Pedro Canas Mendes, director clínico do Hospital Particular de Almada, que, aos 59 anos, é um adepto fervoroso destas ferramentas. “Troco e-mails com as minhas doentes para resolver problemas simples e pouco urgentes, ou quando elas estão geograficamente distantes, como Cabo Verde ou Angola. Fico mais descansado e elas também”, sublinha o ginecologista obstetra.

Luísa Fernandes, 30 anos, sente-se mais protegida desde que começou a tocar e-mails com o ginecologista que a operou a um tumor nos ovários. “Tenho de fazer exames de rotina todos os anos. Faço a primeira consulta, para ele me examinar, mas o resultado das análises mando em anexo por e-mail”, conta a técnica superiora de psicologia, acrescentando: “Assim, evito a segunda consulta, poupo tempo e dinheiro. Mas, acima de tudo, sinto um enorme apoio porque o meu médico está à distância de um clique.”

Mas há médicos que vão mais longe e oferecem mesmo consultas online, através de chats de conversação.

“A dinâmica é a mesma de uma consulta presencial. Peço sempre à pessoa para preencher previamente uma ficha clínica, detalhada e confidencial que me envia por e-mail. Depois é só marcar o dia e a hora para nos encontrarmos no chat”, explica a nutricionista Madalena Muñoz, da clínica Check-Up Med, em Lisboa, acrescentando: “É óptimo para mães atarefadas, que têm os dias muito ocupados, e posso guardar o histórico da nossa conversa, para um acompanhamento mais rigoroso. Além de que é mais ecológico, não se gasta combustível nem papel.”

A consulta online tem a duração de 30 minutos e custa 40 euros, menos dez euros do que a presencial. “Também disponho de pacotes de poupança. Se a pessoa comprar logo um pack de três, faço um desconto de dez euros”, revela Madalena Muñoz.

João Alexandre Rodrigues também cobra menos pelas consultas online: 60 minutos custam 35 euros. “Não era justo estar a pedir o mesmo”, defende. Mas, nos casos de adição, este meio é também a primeira opção de muitas pessoas porque não precisam de dar a cara. “Estou a tratar uma senhora do Alentejo com distúrbios alimentares, por exemplo, que já me confessou que nunca iria a uma consulta presencial. A Internet é mais acessível e permite uma conversa mais espontânea, sem constrangimentos.”

Luís Romariz, especialista em medicina preventiva do instituto médico NewAge, também utiliza ferramentas, como o Skype, para avaliações prévias. “Se a pessoa estiver longe, faço primeiro uma espécie de entrevista online, recomendando logo que possível a consulta presencial”, indica, lembrando que também costuma utilizar o e-mail para fazer chegar aos clientes respostas terapêuticas personalizadas e de forma gratuita.

O Facebook é a rede social que gera mais controvérsia. Alguns médicos encontram nesta ferramenta alguns perigos para a exposição dos doentes. Mas outros utilizam-na como uma forma de promoção e de debate. “Criámos uma página destinada aos pacientes com problemas de falta de cabelo, para que possam interagir e esclarecer dúvidas que, de outra forma, poderiam ter embaraço de colocar”, revela Carlos Silva, director do Centro Médico CM2C. “Todos os dias colocamos conteúdos sobre saúde, bem-estar, estética e gastronomia saudável. E temos sessões de chat em que as dúvidas são respondidas em tempo real.”

“Embora alguns doentes possam abusar e deixar o médico mais sobrecarregado, é importante procurar formas de racionar as despesas e dar resposta rápida aos problemas”, conclui o ginecologista Pedro Canas Mendes.

Fonte: Diário de Notícias

Entry filed under: Serviços de saúde. Tags: .

18 de Outubro – Dia Mundial da Menopausa 18 de Outubro – Dia Europeu de Combate ao Tráfico de Seres Humanos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


NOVO! Projeto Criar Mundos de Igualdade Agir e Convergir para Mudar

Fotos do Projecto Saúde da Mulher - Construir a Igualdade

Mais fotos

Objectivos do Projecto

Informar e sensibilizar a opinião pública, junto de organizações de mulheres, orgãos de comunicação social e demais entidades da sociedade civil, sobre aspectos da saúde da mulher.

Divulgação de informações sobre aspectos de saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Promoção de uma sexualidade saudável e responsável.

Promover os direitos da mulher grávida (maternidade e paternidade).

Combater a violência sexual baseada em questões de género.

Promoção de cuidados perinatais.

Promoção da educação sexual.

MDM Évora

Exposições do Movimento Democrático de Mulheres disponíveis para empréstimo

https://mdmevora.files.wordpress.com/2012/11/exposic3a7c3b5es-do-movimento-democrc3a1tico-de-mulheres-disponc3adveis-para-emprc3a9stimos.pdf

Mapa de Évora – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Arraiolos – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Montemor-o-Novo – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Número Verde

Linha SOS IMIGRANTE

DVD – “De mãos dadas com o medo”

 Filme que aborda questões relacionadas com a violência no namoro e que foi realizado no âmbito do projecto “Participar, Partilhar a Igualdade”, que  foi premiado, em 2007, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade, como o melhor trabalho nesta área realizado no Distrito de Aveiro

Linha Cancro

Sexualidade em Linha

Rastreio do cancro do colo do útero no Alentejo

Linha Sida

São objectivos gerais da Coordenação Nacional da Infecção VIH/SIDA:

Saúde 24

A Linha Saúde 24 é uma iniciativa do Ministério da Saúde que visa responder às necessidades manifestadas pelos cidadãos em matéria de saúde, contribuindo para ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços e racionalizar a utilização dos recursos existentes através do encaminhamento dos Utentes para as instituições integradas no Serviço Nacional de Saúde mais adequadas.

Financiamento

Saúde da Mulher – Mês a Mês

Outubro 2010
M T W T F S S
« Set   Nov »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

Facebook do Projecto Saúde da Mulher -Construir a Igualdade


%d bloggers like this: