Algumas farmácias já recusam adiantar comparticipação a beneficiários da ADSE

04/11/2010 at 10:19 am Deixe um comentário

03.11.2010 – 15:14 Por Lusa

Há farmácias que estão já a recusar-se a adiantar a comparticipação de medicamentos a beneficiários da ADSE, como resposta à rejeição de facturas por parte deste subsistema de saúde dos trabalhadores do Estado, admitiu uma associação do sector.
A maioria das farmácias deverá aguardar por dia 11 para perceber se a situação se esclarece (Foto: António Borges)

 

As farmácias portuguesas denunciaram no final do mês passado que a ADSE começou a recusar receber a facturação relativa ao adiantamento, por parte das farmácias, da comparticipação de medicamentos aos trabalhadores do Estado.

“Há farmácias que têm acordo directo com a ADSE e por iniciativa própria podem fazer isso. Algumas já cortaram o fornecimento [de medicamentos a crédito] e já nos comunicaram”, adiantou à agência Lusa Inês Martins, da direcção da Associação de Farmácias de Portugal (AFP), uma das duas associações portuguesas representativa dos proprietários de farmácias.

Tanto a AFP como a Associação Nacional de Farmácias já comunicaram aos seus associados que, se o problema de recusa de recepção da facturação por parte da ADSE se prolongar para lá de 11 de Novembro, os beneficiários terão de pagar integralmente nas farmácias o preço dos medicamentos.

O gabinete do ministro das Finanças, que tutela a ADSE, adiantou já que as farmácias foram informadas em Agosto de que deveriam, a partir de 1 de Setembro, emitir facturação apenas para os medicamentos prescritos e dispensados a beneficiários atendidos por médicos na actividade privada e fora do âmbito do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Assim, caberia às farmácias fazer uma triagem das facturas, reencaminhando para o SNS aquelas que dizem respeito a receituário do próprio SNS.

A AFP estima que a maioria das farmácias aguardará por dia 11 de Novembro para perceber se a situação se esclarece, mantendo até lá a dispensa normal de medicamentos a crédito aos beneficiários da ADSE.

No entanto, Inês Martins admitiu à Lusa que há farmácias com mais dificuldades em suportar esta situação. “Temos conhecimento de algumas que deixaram de fazer o fornecimento já no dia 1 de Novembro. Há farmácias em situação difícil”, declarou.

Um beneficiário da ADSE contou à Lusa que tentou aviar uma receita numa farmácia em São Mamede, Lisboa, e que lhe foi comunicado que não poderia usufruir da comparticipação.

“Ou pagava sem comparticipação ou teria de ir ao Centro de Saúde para me passarem uma nova receita com cartão de utente. Foram estas as opções que me deram. Optei por ir a outra farmácia e consegui aviar a receita”, relatou este funcionário público, que preferiu não ser identificado.

Entry filed under: Medicamentos, Noticias Nacionais, Serviços de saúde. Tags: .

Polícia procura recém-nascida e família que fugiu de hospital de Évora Mais de 30 por cento dos hospitais públicos já utilizam telemedicina

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


NOVO! Projeto Criar Mundos de Igualdade Agir e Convergir para Mudar

Fotos do Projecto Saúde da Mulher - Construir a Igualdade

Mais fotos

Objectivos do Projecto

Informar e sensibilizar a opinião pública, junto de organizações de mulheres, orgãos de comunicação social e demais entidades da sociedade civil, sobre aspectos da saúde da mulher.

Divulgação de informações sobre aspectos de saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Promoção de uma sexualidade saudável e responsável.

Promover os direitos da mulher grávida (maternidade e paternidade).

Combater a violência sexual baseada em questões de género.

Promoção de cuidados perinatais.

Promoção da educação sexual.

MDM Évora

Exposições do Movimento Democrático de Mulheres disponíveis para empréstimo

https://mdmevora.files.wordpress.com/2012/11/exposic3a7c3b5es-do-movimento-democrc3a1tico-de-mulheres-disponc3adveis-para-emprc3a9stimos.pdf

Mapa de Évora – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Arraiolos – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Montemor-o-Novo – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Número Verde

Linha SOS IMIGRANTE

DVD – “De mãos dadas com o medo”

 Filme que aborda questões relacionadas com a violência no namoro e que foi realizado no âmbito do projecto “Participar, Partilhar a Igualdade”, que  foi premiado, em 2007, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade, como o melhor trabalho nesta área realizado no Distrito de Aveiro

Linha Cancro

Sexualidade em Linha

Rastreio do cancro do colo do útero no Alentejo

Linha Sida

São objectivos gerais da Coordenação Nacional da Infecção VIH/SIDA:

Saúde 24

A Linha Saúde 24 é uma iniciativa do Ministério da Saúde que visa responder às necessidades manifestadas pelos cidadãos em matéria de saúde, contribuindo para ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços e racionalizar a utilização dos recursos existentes através do encaminhamento dos Utentes para as instituições integradas no Serviço Nacional de Saúde mais adequadas.

Financiamento

Saúde da Mulher – Mês a Mês

Novembro 2010
M T W T F S S
« Out   Dez »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

Facebook do Projecto Saúde da Mulher -Construir a Igualdade


%d bloggers like this: