Mortalidade infantil sobe pela primeira vez em 3 anos

19/11/2010 at 10:42 am Deixe um comentário

por DIANA MENDES

19 Novembro 2010

Subida da idade materna, infertilidade e tabagismo fazem subir partos prematuros.

Os números da mortalidade infantil pioraram em Portugal no ano passado, particularmente na região de Lisboa. Dados do INE apontam uma subida da mortalidade infantil (até um ano) de 6,5% no País, mas que atinge 16% na região de Lisboa, sobretudo devido ao crescimento dos partos prematuros e, por isso, dos bebés com baixo peso e maior risco.

Segundo a publicação Natalidade, Mortalidade Infantil, Fetal e Perinatal, da Direcção-Geral da Saúde, este é um dos indicadores que pioraram em 2009, já que só em 2005 houve mais óbitos. Jorge Branco, responsável da comissão de saúde materna e neonatal, diz que a “subida está a ser estudada, apesar de continuarmos a ter dos melhores indicadores a nível europeu. No entanto, quero acreditar que iremos recuperar para os valores anteriores no próximo ano”.

Apesar de em termos absolutos se terem registado apenas mais 22 mortes no País, na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo houve mais 23, 27% do que em 2005. Mas há regiões com redução (ver caixa).

Maria do Céu Machado, alta comissária da Saúde e pediatra, explica ao DN que esta subida se deve sobretudo “à subida dos óbitos neonatais e isso é associado ao crescimento do número de bebés prematuros”.

As mortes de crianças com menos 28 dias também subiram 13% no País. Dos 28 casos a mais em relação ao ano anterior, apenas 11 foram registados nos primeiros sete dias. A médica diz que tem de haver um estudo caso a caso. Não se trata de haver problemas na assistência, garante. “Com os dados da mortalidade a que chegámos, vai ser cada vez mais difícil baixar deste patamar”.

As causas da prematuridade, associada à maior mortalidade, têm aumentado de ano para ano. “As mulheres têm filhos cada vez mais tarde, têm mais problemas de infertilidade e são cada vez mais fumadoras. O aumento de tratamentos de fertilidade, traz aumento do número de gémeos e de prematuros, de igual forma. Em Lisboa, exemplifica a pediatra, “há ainda um grande número de emigrantes africanas, que contribuem muito para a natalidade. No entanto, têm mais prematuros devido a um problema na membrana amniótica”, justifica.

Se a mortalidade infantil é “uma bandeira da saúde portuguesa”, refere, a verdade “é que tentamos salvar prematuros cada vez mais pequenos, o que também influencia estes indicadores”.

Os óbitos perinatais (fetos mortos com mais de 22 semanas e óbitos até sete dias) subiram 22% na região de Lisboa, com um acréscimo de 43 casos em relação a 2008. No País, essa subida foi de 13,4%.

O especialista Jorge Branco, salienta que entre as 22 e 24 semanas “é muito difícil salvar uma criança”, mas admite que mesmo acima das 28 “houve um crescimento que se explica com as gravidezes de gémeos, aumento da idade materna e das doenças inerentes, entre outros aspectos.

Notícia completa em Diário de Notícias

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1714510

Entry filed under: Natalidade, Noticias Nacionais. Tags: .

Acção de Sensibilização do Desporto Feminino Bebé Vida doa 90 euros por cada kit de criopreservação vendido até 31 de Dezembro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


NOVO! Projeto Criar Mundos de Igualdade Agir e Convergir para Mudar

Fotos do Projecto Saúde da Mulher - Construir a Igualdade

Mais fotos

Objectivos do Projecto

Informar e sensibilizar a opinião pública, junto de organizações de mulheres, orgãos de comunicação social e demais entidades da sociedade civil, sobre aspectos da saúde da mulher.

Divulgação de informações sobre aspectos de saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Promoção de uma sexualidade saudável e responsável.

Promover os direitos da mulher grávida (maternidade e paternidade).

Combater a violência sexual baseada em questões de género.

Promoção de cuidados perinatais.

Promoção da educação sexual.

MDM Évora

Exposições do Movimento Democrático de Mulheres disponíveis para empréstimo

https://mdmevora.files.wordpress.com/2012/11/exposic3a7c3b5es-do-movimento-democrc3a1tico-de-mulheres-disponc3adveis-para-emprc3a9stimos.pdf

Mapa de Évora – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Arraiolos – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Montemor-o-Novo – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Número Verde

Linha SOS IMIGRANTE

DVD – “De mãos dadas com o medo”

 Filme que aborda questões relacionadas com a violência no namoro e que foi realizado no âmbito do projecto “Participar, Partilhar a Igualdade”, que  foi premiado, em 2007, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade, como o melhor trabalho nesta área realizado no Distrito de Aveiro

Linha Cancro

Sexualidade em Linha

Rastreio do cancro do colo do útero no Alentejo

Linha Sida

São objectivos gerais da Coordenação Nacional da Infecção VIH/SIDA:

Saúde 24

A Linha Saúde 24 é uma iniciativa do Ministério da Saúde que visa responder às necessidades manifestadas pelos cidadãos em matéria de saúde, contribuindo para ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços e racionalizar a utilização dos recursos existentes através do encaminhamento dos Utentes para as instituições integradas no Serviço Nacional de Saúde mais adequadas.

Financiamento

Saúde da Mulher – Mês a Mês

Novembro 2010
M T W T F S S
« Out   Dez »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

Facebook do Projecto Saúde da Mulher -Construir a Igualdade


%d bloggers like this: