Comunicado do Movimento de Utentes de Saúde Pública do Distrito de Évora

23/09/2011 at 2:35 pm Deixe um comentário

23 de Setembro de 2011, Évora

O Governo, através do Ministro da Saúde vai anunciando a sua estratégia política, na continuidade da degradação do Serviço de Saúde Publica iniciado pelo anterior Governo PS, que há muito o Movimento de Utentes de Saúde Pública tem vindo a denunciar.

Teimam em liquidar o SNS, não apenas na redução dos direitos dos cidadãos, mas propondo-se o governo do PSD/CDS-PP ir mais longe que o próprio programa de ingerência externa, mais conhecido pelo memorando da Troika, deixando a saúde de ser um direito e uma prioridade, que passa a ser desenvolvida como um negócio, que retira o acesso aos cuidados de saúde passando a ser um privilégio dos Portugueses que têm dinheiro.
A troika impôs que até 2013 o Ministério da Saúde cortasse 550 milhões de euros, o que significa que a situação que actualmente se vive vai agravar, prejudicando ainda mais a esmagadora maioria das pessoas, em especial os idosos que já vivem com muitas dificuldades.
Os utentes continuam a ser prejudicados e o Governo aquele que tem o papel de garantir o direito à saúde e o próprio direito à vida dos Portugueses, tal como está consagrado constitucionalmente, continua a anunciar cortes cegos no sector da saúde, assim como, o aumento das taxas moderadoras do SNS, o aumento dos medicamentos, a redução de 200 milhões de euros nos custos operacionais dos hospitais, a redução nos custos com os transportes de doentes, o corte na comparticipação na pílula contraceptiva e de três vacinas que integram o plano nacional de vacinação, o encerramento de Urgências em Centros de Saúde, são alguns dos cortes que confirmam a natureza desumana como o actual Governo segue com medidas que vão trazer a curto e médio prazo problemas sérios de saúde aos Portugueses.
As consequências de todos estes cortes cegos nos direitos dos cidadãos, há muito que se fazem sentir, causando enorme sofrimento a muitas famílias, degradando as suas condições de vida.
As populações dos vários Concelhos do Distrito de Évora, têm sido incansáveis juntando-se às lutas desenvolvidas pelo MUSP, e pelos diversos Movimentos que têm arregaçado mangas, na defesa do direito à saúde contra este atentado á qualidade de vida das nossas populações.
Em Vendas Novas o Movimento de Cidadãos Independente e a população estão a viver uma luta diária, contra o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente durante 24h, não se deixando intimidar pelas ameaças feitas pelo Sr. Primeiro Ministro, referindo que não irá permitir tumultos nas ruas. As populações não temem essas ameaças e os Vendasnovenses saíram à rua levando a cabo vigílias em frente do Centro de Saúde, garantindo que se o mesmo vier a encerrar de imediato, organizarão uma marcha lenta.
Também no Alandroal, Viana do Alentejo, Arraiolos já se faz sentir o resultado de tais medidas com a redução dos horários nos Centros de Saúde destes Concelhos. Outra das situações que o Ministério da Saúde mantem como orientação, são os cortes das credenciais aos doentes não urgentes, no qual se resume a um corte drástico na emissão de credenciais de transporte, aos doentes que necessitam do mesmo, para realizarem consultas ou tratamentos, colocando centenas de doentes no Distrito desesperados, por não poderem suportar os custos do respectivo transporte.
Não podemos deixar de manifestar a nossa preocupação sobre a ameaça de congelamento da construção do novo hospital Regional de Évora, promessa feita tanto pelo PS como pelo PSD, mas que o novo Governo do PSD/CDS-PP tenta travar, prejudicando a população, do Distrito e da Região.
Face a esta grave situação, o Movimento de Utentes de Saúde Publica do Distrito de Évora, apenas deixa uma pergunta – Qual o papel da ARS do Alentejo, ainda presidida pela Dr.ª Rosa Matos, perante este ataque ao Serviço Nacional de Saúde, que coloca em risco a população do nosso Distrito?
Perante todas as questões referidas e às consequências que delas advêm, o MUSP do Distrito de Évora solicitou uma audiência ao Ministro da Saúde para discutir os graves problemas que afectam a população do Distrito de Évora.
O MUSP irá nos próximos dias analisar a grave situação e tomar as medidas adequadas ao desenvolvimento da luta, contudo desde já apela a todas as estruturas locais que desenvolvam a luta em torno dos problemas concretos das suas populações, designadamente em defesa dos serviços públicos e das necessidades de cada concelho.
O MUSP apela a todos os utentes do SNS, a todos os que sofrem as consequências da política deste governo que se integrem na grande manifestação do próximo dia 1 de Outubro promovida pela CGTP-IN contra todas as injustiças e se façam representar com as suas reivindicações.
Não aceitamos que a nossa população esteja condenada a morrer por falta de assistência!
Fonte: MUSP

Entry filed under: Serviços de saúde. Tags: .

Saúde – Hospital de Évora tenta ganhar mais urologistas – RTP Noticias, Vídeo Profissionais de saúde preocupados com aumento da venda da pílula do dia seguinte

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


NOVO! Projeto Criar Mundos de Igualdade Agir e Convergir para Mudar

Fotos do Projecto Saúde da Mulher - Construir a Igualdade

Mais fotos

Objectivos do Projecto

Informar e sensibilizar a opinião pública, junto de organizações de mulheres, orgãos de comunicação social e demais entidades da sociedade civil, sobre aspectos da saúde da mulher.

Divulgação de informações sobre aspectos de saúde sexual e reprodutiva da mulher.

Promoção de uma sexualidade saudável e responsável.

Promover os direitos da mulher grávida (maternidade e paternidade).

Combater a violência sexual baseada em questões de género.

Promoção de cuidados perinatais.

Promoção da educação sexual.

MDM Évora

Exposições do Movimento Democrático de Mulheres disponíveis para empréstimo

https://mdmevora.files.wordpress.com/2012/11/exposic3a7c3b5es-do-movimento-democrc3a1tico-de-mulheres-disponc3adveis-para-emprc3a9stimos.pdf

Mapa de Évora – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Arraiolos – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Mapa de Montemor-o-Novo – Apoio a vítimas de Violência Doméstica e locais onde apresentar queixa

Número Verde

Linha SOS IMIGRANTE

DVD – “De mãos dadas com o medo”

 Filme que aborda questões relacionadas com a violência no namoro e que foi realizado no âmbito do projecto “Participar, Partilhar a Igualdade”, que  foi premiado, em 2007, no âmbito do Ano Europeu da Igualdade, como o melhor trabalho nesta área realizado no Distrito de Aveiro

Linha Cancro

Sexualidade em Linha

Rastreio do cancro do colo do útero no Alentejo

Linha Sida

São objectivos gerais da Coordenação Nacional da Infecção VIH/SIDA:

Saúde 24

A Linha Saúde 24 é uma iniciativa do Ministério da Saúde que visa responder às necessidades manifestadas pelos cidadãos em matéria de saúde, contribuindo para ampliar e melhorar a acessibilidade aos serviços e racionalizar a utilização dos recursos existentes através do encaminhamento dos Utentes para as instituições integradas no Serviço Nacional de Saúde mais adequadas.

Financiamento

Saúde da Mulher – Mês a Mês

Setembro 2011
M T W T F S S
« Ago   Out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 8 outros seguidores

Facebook do Projecto Saúde da Mulher -Construir a Igualdade


%d bloggers like this: